Sobre sentimentos, tudo que eu penso.



É bem complicado começar a falar sobre uma coisa tão profunda. Eu fico imaginando, por onde devo iniciar, de que forma falar, enfim, geralmente chego a alguma conclusão. Nem sempre a decisão tomada é a melhor ou mais adequada, mas é a minha decisão e pra mim, é isso que importa: que venha de mim. Eu admito que tenho uma certa dificuldade quando o assunto em questão sou eu, bate uma angústia e eu não sei mais do que eu queria falar. Portanto, é bem complicado falar o que eu realmente penso de sentimentos em geral.
Desde sempre, aprendi que amizade não é brincadeira de criança, é coisa séria. Eu acho incrível como algumas pessoas tem o poder de conquistar confiança e quebrá-la rapidamente. Eu sei, é clichê dizer que "confiança é igual cristal", mas é verdade. Quebrou? Já era...
O amor é um troço esquisito.
Tem aquele, o amor platônico; você descobre tudo sobre a pessoa, endereço, telefone, msn, onde estuda, onde mora...Enfim, pode ser que aconteça de virar um amor de verdade, de ser correspondido, mas também pode ser que não. Iai, o pobre sujeito fica, todo abobado por alguém que nem sonha que tem alguém gostando dele.
Tem o amor a distância, que assim como o amor platônico, pode sim dar certo (ou não).
O fato é que o amor faz a gente idealizar a pessoa, o que geralmente acaba mal.
Um vez eu li a seguinte citação de Cazuza:
"O amor é o ridículo da vida.A gente procura nele uma pureza impossível, uma pureza que está sempre se pondo. A vida veio e me levou com ela. Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga ideia de paraiso que nos persegue, bonita e breve, como borboletas que só vivem 24 horas".
Querendo ou não, isso penetrou na minha mente, tomou conta dos meus pensamentos mais sem sentido, e deixou eles mais confusos ainda, apesar de ter deixado, em parte, uma brecha de esclarecimento. Algumas pessoas acreditam ser exagero da minha parte compartilhar essa visão quanto ao amor, mas eu continuo com essa linha de raciocínio. O que hoje vemos como amor é fullgas, é passageiro, é paixão! E paixão acaba com o passar do tempo... Mas, ao contrário do que possa parecer, eu ainda acredito no amor. Eu acho que é difícil, mas não é impossível, encontrar alguém com quem se tenha vontade de transformar dias em anos, momentos em eternidades...
Amor pra mim é, portanto, a completa divisão, partilha de tudo que se sente, bom ou mau, bem ou mal, tudo que se vive, tudo que se faz... É companheirismo, é respeito. E, porque não, um pouco de magia? Acredito nisso sim, mas continua pra mim sendo o tal "ridículo da vida", e eu acho que nunca vai deixar de ser.
Ai... eu e minhas contradições...

Ah gente!
Por hoje é só...
Beeeeeeijão =)

3 pitaco(s):

Luciano de Sálua disse... [Responder comentário]

Mas nós somos ridículos, e se não fossemos, ah minha querida, nada das grandes loucuras que fazemos não faria sentido.

Luiza Padovezi disse... [Responder comentário]

também acredito no amor
não só no amor de família, e esse é incontestavel, mas o amor...aquele amor entre duas pessoas de tirar o folego, de abrir mao de algo so pra fazer a outra pessoas feliz, aquele amor ridiculo, brega e sem sentido...e não vejo a hora de encontra-lo

Iris Gimaiel disse... [Responder comentário]

Concordo com o texto inteirinho. Qualquer tipo de amor tem chance de dar certo e de dar errado, seja ele a distancia, platonico, mesmo que voce veja a pessoa todo santo dia, toda santa hora. O amor de hoje é mais paixão, passa rápido, as pessoas não se casam e depois comemoram 50 anos de casados, a maioria dura 1 ano e olha lá.

Parabens pelo blog, acho ele lindo! *-*

Postar um comentário

Fale o que pensa, comentários são bem vindos, educação também :)